sociedade contemporânea noergológica

QUEBRANDO TABUS DA RAÇA HUMANA: SEXO NU

Noergologista Jacob Bettoni, noergologia@gmail.com

SUBTÓPICO: A libertação sexual é um sonho milenar da raça humana. O movimento feminista está defendo que “se os meninos e rapazes andam de short, porque nós mulheres não podemos também andar de short sem sermos importunadas. “

Nesta série abrimos o debate para a criação de soluções relacionadas a temas considerados totalmente insolúveis, absurdos. Você vai participar da fase de criação de soluções, que é o início de qualquer realização. Isso tudo sempre junto com o respectivo sonho. Alguém precisa desbravar novas fronteiras. Noergologia já deu a partida para o problema da programação cerebral cientifica e repetível, com a descoberta da Noerobica®. Também no início era absurdo imaginar que o antigo possesso, atual psicopata ou psicótico não seria um doente, mas sim um megatleta. A práxis ancorada nesta teoria – Noerobica® – comprovou cientificamente o que era então absurdo.

Nesta nova série temática abordaremos: I- sexo, dor & prazer; II- drogas: criminalidade produzida pela lei e não pela droga; III- menoridade, penalidade: solução simples, para um problema complexo.

 O movimento feminista está defendo que “se os meninos e rapazes andam de short, porque nós mulheres não podemos também andar de short sem sermos importunadas. “

O argumento básico alega que “os representantes do sexo masculino importunam as representantes do sexo feminino POR CAUSA DA EDUCAÇÃO MACHISTA”.

Esta argumentação não sobrevive à mais elementar análise: as mulheres não estão pleiteando igualdade de direitos, mas supremacia de direitos: elas querem o direito de excitar sexualmente os machos, exigindo-lhes resposta sexual nula. Só se fala em assédio sexual. Precisamos falar igualmente de excitação sexual, porque:

  1. a) Homens e Mulheres somos todos mamíferos dotados de um cérebro fantástico;
  2. b) este cérebro fantástico possui como um dos componentes o cérebro reptiliano, encarregado de coordenar as ações sexuais indicadas pela testosterona masculina e pela progesterona feminina;
  3. c) Machos hominídeos ou não investem sexualmente nas fêmeas em função da testosterona e do cérebro reptiliano e não em função de uma “educação machista”;
  4. d) Fêmeas hominídeas ou não consentem não em função de sua educação feminina, mas em função da sua progesterona e do seu cérebro reptiliano;
  5. e) quem já estudou em seminário sabe que lá se aprende que o sexo deve ser completamente evitado. Mesmo assim os seminaristas se masturbam e assediam fêmeas sempre que possível, corroborando que a educação machista ou feminista nada tem a ver com isso;
  6. f) monges jovens se chicoteavam para vencerem as tentações sexuais indesejadas e, mesmo assim, muitas vezes sucumbiam à masturbação; Portanto, se fêmeas jovens e bonitas quiserem desfrutar do traje provocativo sem serem assediadas pelos machos, isso é possível sim, pelo menos dentro das seguintes providências: a) esterilização de todos os machos, o que não inibe o assédio das fêmeas não esterilizadas; b) ou, amputação do cérebro reptiliano dos machos, deixando em aberto os comandos reptilianos das fêmeas.

Mas então quer dizer que não há uma saída melhor para a questão da libertação sexual do Homem e da Mulher!!!!!!

– Existe sim. Mas as saídas passam muito distante das soluções defendidas pelas feministas e pelos sonhadores com a libertação da escravidão sexual, como os monges que não tinham nenhuma educação machista; que tinham exclusiva educação ensinando que sexo era pecado; e que, mesmo assim, precisavam se autoflagelar para evitarem as tentações sexuais simplesmente fantasiando com mulheres com ou sem roupa. Imagine então o corpo másculo jovem sendo excitado não com a simples fantasia, mas com o próprio corpo feminino seminu bem aí na frente dos seus olhos e próximo do seu corpo.

Enquanto o amor (ou seja, a escravidão sexual) é celebrado em prosa, verso, música, pintura, escultura e demais manifestações artísticas, o SONHO DA LIBERTAÇÃO SEXUAL é milenar. As virgens dos templos, os eunucos, os grandes mestres assexuados (Jesus, Buda, Maomé); as práticas milenares de libertação sexual como Maythuna, com os Alquimistas, como os rosa-cruzes comprovam que a libertação da escravidão do cérebro reptiliano, da testosterona e da progesterona demonstram que esse é um sonho milenar dos humanos.

Então, isso que as mulheres querem agora e os homens desejam ardentemente – a libertação da escravidão sexual – isso é possível. Mas não pelos caminhos indicados de forma anedótica do tipo evitar educação machista e outras bobagens. Nem o cérebro reptiliano e nem a testosterona precisam serem educados para os cerimoniais sexuais; ambos já foram educados ao longo de milhares de anos de treinamento em diversos corpos, cujo DNA habitaram. Não estamos falando da reencarnação espírita, mas da reencarnação na própria carne.

Falava-se anedoticamente de políticos querem revogar a lei da gravidade. Mas agora não é anedota: tem gente querendo revogar por decreto o cérebro reptiliano e o desempenho da testosterona e da progesterona. Acho menos grave revogar a lei da gravidade.

Fala-se exclusivamente em assédio sexual. Precisamos discutir no mesmo nível do assédio a incitação sexual, presente tanto nas fêmeas das savanas africanas, quanto nas sociedades civilizadas humanas. A despeito de toda a evolução humana, continuamos com os hormônios sexuais e com o cérebro reptiliano em pleno funcionamento.

 SEXO, PRAZER & DOR

Nada iguala o prazer sexual. A dopamina liberada pelas atividades sexuais ajuda a criar o vício da dependência do prazer sexual e da parceira. A composição das sociedades humanas é inteiramente dependente da bipolaridade homem-mulher e respectivas sequelas. Freud, por exemplo, acreditava firmemente nisso e acertou em tudo, menos na origem do pensamento que não é sexogênico e sim cerebrogênico. Ele não sabia, mas Noergologia sabe que gozamos com o cérebro e não com falos e úteros.

Não obstante e a despeito de todo o fascínio pelos prazeres sexuais, sabemos que só quando a evolução atingir o grau de reprodução assexuada – como pensam Darwin e esse escriba – a humanidade atingirá um patamar de felicidade existencial plena, harmonia, bem-estar, prosperidade acompanhadas de descobertas e progresso intelectual paradisíaco.

É até provável supor que o céu criado por várias religiões seja constituído de sociedades assexuadas, gozando da verdadeira liberdade, com o fim da escravidão ao prazer sexual e, consequentemente, da parceira sexual. Já observaram que muitas teologias e filosofias dizem que os anjos não têm sexo!

Na grande maioria quase absoluta somos viciados sexuais e escravos da parceira ou das parceiras de “felicidade”. A inteligência humana já inventou bonecas infláveis, o que já reduziu a dependência escravagista em 0,0000000000000000000000000000001%. Igualmente a masturbação liberta-nos da escravidão à parceira sexual, mas não resolve o problema, apenas troca a dependência química ao prazer. Mas a dependência ao vício gostoso continua incólume.

ETAPAS DA ESCALADA EVOLUTIVA DA LIBERTAÇÃO SEXUAL

  • Masturbação;
  • Bonecas sexuais;
  • Orgasmo com o pensamento: https://www.youtube.com/watch?v=EEYFlnJk65E;
  • A prática da Maythuna, que consiste no domínio completo e absoluto das percepções sexuais, mantendo, todavia incólume a dependência à parceira humana ou artificial;
  • O voto de castidade suprimindo a dupla dependência – prazer e parceira, porém mantendo incólume o desejo dopaminérgico.

CRISPROMEC CRIANDO A MEGANE DO NOVO ESTÁGIO

Os noergologistas conhecem exercícios bicamerais jogando com axiografia dos pensamentos expurgados pelo hemisfério dominante e posterior criação da solução com técnicas englobadas em CRISPROMEC, que tornam perfeitamente possível criar vários comandos meganérgicos de extrema felicidade e prazer completamente, inteiramente livres de qualquer componente sexual. Isso resolve uma parte do problema sexual: a dependência tanto da parceira quanto do artefato bem como do prazer utilizando componentes sexuais, permitindo atingir prazeres maiores em qualidade e intensidade.

Permanece sem solução a questão da reprodução. Como resolver isso? A resposta é simples e clara: isso também se resolve com o sistema pensamento cérebro, com jogos bicamerais. Basta trabalhar nesta direção.

O QUE FALTA PARA O NÍVEL EVOLUTIVO PÓS-SEXUAL?

Câncer de próstata e mama. Dor e prazer. Sequelas infernais da aproximação de casais compatíveis sexualmente e incompatíveis noergicamente e socialmente. Conflitos entre os parceiros sexuais. O elevado preço pago por sociedades conjugais absurdas e inviáveis. E, sobretudo a renúncia à verdadeira felicidade, ao verdadeiro prazer que é a fruição de estados dopaminérgicos sob comando criador do sistema pensamento-cérebro, inteiramente livre de drogas artificiais como cocaína ou naturais como sexo. A felicidade conquistada com criação noérgica, sem dependência nem de drogas, nem de parceiros. Isso é possível?

Sim, este é um sonho ancestral humano, uma criação noérgica já sonhada. E como sabemos, o sonho é a matriz da criação. Esse sonho ancestral nada tem a ver com a sublimação freudiana, que era apenas um equívoco do comando do pensamento. Freud pensava que a libido comandava o pensamento, e nessa hipótese cabia a sublimação como resultante da repressão. Todavia a neurociência e a Noergologia descobriram que o mecanismo é exatamente o oposto da máquina mecanicista freudiana: o pensamento é o criador e não é libido.

Mesmo assim, podemos creditar a Freud uma estação percorrida no sonho humano na direção da evolução pós-sexual. Sonho implícito em várias estações culturais humanas, tais como os grandes santos de várias religiões nascendo de concepção assexuada, como é o caso da virgem Maria mãe do nosso Deus Ocidental.  Verdade é que algumas divindades são essencialmente sexuadas, dentro apenas do nosso atual patamar evolutivo. Mas na fase do sonho, isto é, na fase da criação, não só os anjos são assexuados; várias divindades também o são. E o homem já descobriu a inseminação artificial, um primeiro passo nessa jornada. Portanto a libertação da fase sexual não vai significar o fim da reprodução humana. Fica a questão: será possível obter espermatozoides e óvulos para inseminação sem o atual prazer sexual? É possível sim.

Yes, we can! Muito além do voto de castidade, milhares de quilômetros à frente do conceito de sublimação; lá na frente, a civilização noergológica com toda a certeza alcançará este evolutivo estágio humano. Aliás, se outras espécies já fazem isso, porque nós os humanos não poderíamos fazer o mesmo?  Afinal se já imitamos aves voando com o avião, peixes nadando com o navio.

SÍNTESE TEMÁTICA: O objetivo supremo das diversas teorias e práticas sexuais tinha e continua tendo a superação do estágio sexual na evolução humana. Vamos ser francos: são incompatíveis, são mutuamente excludentes o cérebro esquerdo com testosterona e progesterona. Durante milênios a energia do pensamento tem sido a libido. Só no limiar no III Milênio surge Noergologia propondo a gigantesca evolução da superação da libido com o advento da Noergologista Jacob Bettoni. A drogadição do estágio sexual é escravizadora, limitadora e escravocrata. A ultrapassagem deste estágio é um sonho milenar da raça humana e como tal um dia será alcançado. Analise que todos são dependentes químicos do sexo, menos coincidentemente os próprios deuses e as mães imaculadas dos deuses. Os príncipes japoneses praticavam técnicas objetivando superar o primitivo estágio evolutivo sexual. Os alquimistas, os gnósticos, os membros da fraternidade branca estão todos nesta mesma direção. Eu próprio fui membro de carteirinha da Associação Gnóstica. Fui praticante de Maythuna quando aínda eu estava na idade da pedra e acreditava que kundalini comanda a energia. Hoje finalmente Noergologia esclarece: noergia comanda todo o complexo energético biofísico. O próximo passo é a libertação. Noerobica é uma ferramenta auxiliar nesta caminhada. Vamos chegar lá, porque estamos inconformados com nossa dependência química da drogadição sexual. O sonho humano não é chegar a Deus pelo sexo. É chegarmos ao estado de divindade na era evolutiva pós-sexual. Ah, e a propagação da espécie? Ora, existem milhares de alternativas sem dependência química. Conheça melhor http://www.noergologia.com.br

Yes, we can! Veja Como Darwin pensa: http://hypescience.com/qual-e-a-razao-de-ser-do-sexo/?utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed%3A+feedburner%2Fxgpv+%28HypeScience%29

Anúncios
Padrão